170 ANOS FORMANDO MÚSICOS DE EXCELÊNCIA

Concertos UFRJ: a obra de Henrique Oswald

0
0
0
s2sdefault

 

podcast

Ouça aqui o programa: 

Toda segunda-feira, às 22h, tem "Concertos UFRJ" na Roquette Pinto FM. Sintonize 94,1 ou acompanhe pela internet!

Programas anteriores podem ser encontrados na seção Concertos UFRJ.

A obra do pianista e compositor Henrique Oswald, um dos mais importantes artistas brasileiros de nosso romantismo musical foi o assunto da edição de Concertos UFRJ do dia 16 de maio. Parceria da Escola de Música com a rádio Roquette Pinto, a série conta com a produção e apresentação de André Cardoso, docente da EM, e vai ao ar toda segunda-feira, às 22h, pela emissora, na sintonia 94,1 FM.

 

Oswald nasceu no Rio de Janeiro em 1852, filho de pai suíço e mãe italiana. Aos dois anos de idade foi para São Paulo onde o pai abriu um pequeno comércio de venda de pianos. O menino Henrique Oswald começou então a aprender o instrumento com sua própria mãe e, mais tarde, com o músico francês Gabriel Giraudon, fazendo suas primeiras apresentações aos 12 anos de idade. Em 1868, o jovem talentoso recebeu uma bolsa de D. Pedro II para aperfeiçoamento no exterior e se transferiu para Florença, Itália, cidade na qual moraria maior parte de sua vida.

 

Henrique Oswald viveu em uma época em que a estética do romantismo foi abalada em seus ideais, por um lado, pela gradual dissolução do sistema tonal e, por outro, pela transformação da sintaxe discursiva que, herança do classicismo, era baseada no confronto temático. Seu trabalho se filia ao romantismo tardio e à escola francesa de composição. Muitos comentaristas destacam sua ligação com a obra do compositor francês Gabriel Faurée pela inspiração melódica e requinte formal. Sendo o piano o instrumento de Henrique Oswald sua produção principal é, naturalmente, para o instrumento.

 

Durante sua estada na Europa travou contato com vários compositores, em especial Franz Liszt, Rebikoff e Gabriel Pierné. Em 1902 sua peça Il Neige venceu o concurso de composição do jornal Le Figaro de Paris em cujo júri se encontrava, entre outros, os compositores Gabriel Faurée e Saint-Saenz. Em várias de suas obras os títulos insinuam elementos extramusicais, não com a intenção de descrevê-los realisticamente, mas de sugeri-los, talvez, psicologicamente.

 

Após muitos anos vivendo na Europa, Henrique Oswald foi convidado pelo governo brasileiro para retornar ao Brasil e assumir a direção do Instituto Nacional de Música (INM), atual Escola de Música da UFRJ. Aqui chegou em 1903 e permaneceu até 1906 quando retornou à Europa. Somente em 1911 se estabeleceu definitivamente no Rio de Janeiro, trazendo sua família e sendo nomeado professor de piano do INM.

 

Além de obras para piano Henrique Oswald tem também uma destacada produção para diversas formações camerísticas e abordou, também, a música sacra, sobretudo no período imediatamente após seu filho Alfredo ter optado pela vida sacerdotal. No gênero sacro, nos deixou uma missa, uma missa de réquiem e vários motetos.

 

A música de Oswald utiliza elementos colhidos em diferentes estilos. O musicólogo Luiz Heitor Correa de Azevedo identificou três diferentes influências do compositor: a alemã, devido à “profundeza de pensamento” e amplo domínio das questões formais; a francesa pelo requinte, clareza e uma “cuidadosa escolha das harmonias”; e a italiana por sua facilidade melódica. Já o escritor Mário de Andrade, contrariamente, identificou em Oswald “uma sensibilidade melódica afastadíssima da volúpia italiana e da masculinidade alemã. Mas que tem manas pela Rússia e o pai em França”. Na verdade trata-se de um compositor cujo ecletismo e profundo conhecimento da técnica composicional o faziam transitar por diferentes estilos.

 

Além das obras para piano e música de câmara Henrique Oswald deixou obras orquestrais, em que se sobressaem um concerto para piano e outro para violino, e duas sinfonias. Deixou também três óperas, sendo duas delas inéditas, canções e peças para órgão.

 

Oswald faleceu aos 79 em 1931 como um consagrado compositor e disputadíssimo professor de piano. Mais informações, no site dedicado ao compositor.

 

As edições do programa Concertos UFRJ podem ser acompanhadas on line ou por meio do podcast (áudio sob demanda) da Roquette Pinto (FM 94,1). Contatos através do endereço eletrônico: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Programação de Maio

 

Programa 39 – Dia 02 de Maio – Especial com o violonista Jorge Caballero (gravação ao vivo do concerto realizado no Salão Leopoldo Miguez em 12 de dezembro de 2010)

 

Programa 40 – Dia 9 de maio – Don Quixote na música (obras de Boismortier, Telemann, Massenet e Ravel)


Programa 41 – Dia 16 de maio – Grandes mestres da EM: obras do compositor Henrique Oswald (1852-1931) 

 

Programa 42 – Dia 23 de maio – Música de câmara 2: obras de câmara para diferentes formações

 

Programa 43  – Dia 23 de maio – Ópera "Gianni Schicchi" de Puccini 

 

Correspondência

Escola de Música da UFRJ
Edifício Ventura Corporate Towers
Av. República do Chile, 330
21o andar, Torre Leste
Centro - Rio de Janeiro, RJ
CEP: 20.031-170

+55 21 2532-4649
gabinete@musica.ufrj.br

Redes sociais