Violões da UFRJ

Violões da UFRJ

Institucional >> Conjunto Estáveis

Repertório dedicado ao violão brasieliro...

Formado em 2003 a partir…

More...
Brasil Ensemble - UFRJ

Brasil Ensemble - UFRJ

Institucional >> Conjunto Estáveis

Mais de uma década se apresentando em importantes salas de concertos...

Criado em outubro de 1999, o conjunto vocal Brasil…

More...
Biblioteca Alberto Nepomuceno

Biblioteca Alberto Nepomuceno

Institucional >> Biblioteca

Capítulo importante da música no País

A história da Biblioteca Alberto Nepomuceno é, com certeza, capítulo importante da própria história da música no Brasil. Francisco Manuel da…

More...
Coro Sinfônico da UFRJ

Coro Sinfônico da UFRJ

Institucional >> Conjunto Estáveis

Repertório dedicado às grandes obras corais sinfônicas de todos os tempos...

Coro Sinfônico da UFRJ é…

More...
Orquestra Sinfônica da UFRJ (OSUFRJ)

Orquestra Sinfônica da UFRJ (OSUFRJ)

Institucional >> Conjunto Estáveis

Criada em 1924 é a mais antiga orquestra do Rio de Janeiro...

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Quisque dui orci, faucibus non, semper sed, pulvinar quis, purus. Class aptent…

More...
Orquestra Juvenil

Orquestra Juvenil

Institucional >> Conjunto Estáveis

Em funcionamento desde 1995...

A Orquestra Juvenil da UFRJ foi criada pelo maestro André…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2010 JoomlaWorks, a business unit of Nuevvo Webware Ltd.
Início Concertos UFRJ Temporada 2014 Especial Guerra-Peixe III: violão e música vocal
Especial Guerra-Peixe III: violão e música vocal PDF Imprimir E-mail
Escrito por SeTCOM   
Seg, 31 de Março de 2014 00:00

No último programa da série de três dedicado ao centenário de nascimento de Guerra-Peixe (1914-1993), um dos maiores representantes do nosso nacionalismo musical, a edição da semana de Concertos UFRJ destaca a sua produção vocal e para violão. No primeiro foi abordada a obra sinfônica do compositor e no segundo a sua música de câmara.

 

Concertos UFRJ é um parceria da UFRJ com a Rádio Roquette Pinto. Produzido e apresentado pelo maestro André Cardoso, vai ao ar toda segunda-feira, às 22h, na sintonia 94,1 FM.

 

 

 

podcast

Ouça aqui o programa: 

 
 
Toda segunda-feira, às 22h, tem "Concertos UFRJ" na Roquette Pinto FM. Sintonize 94,1 ou acompanhe pela internet!
Programas anteriores podem ser encontrados na seção Concertos UFRJ.
   

Violão


Na produção do compositor para violão se destacam três séries de pequenas obras – os "Prelúdios", escritos entre 1969 e 1970; as "Lúdicas" de 1980; e as "Breves" de 1981.


Para as dez peças que compõem as "Lúdicas" Guerra-Peixe criou também um acompanhamento para quarteto ou orquestra de cordas. Essa a versão que foi ao ar, na interpretação do violonista Marcos Llerena acompanhado da Orquestra Brasil Consort. As peças se intitulam: I. Fantasieta; II. Dança negra; III. Organum acompanhado; IV. Berimbau; V. Modinha; VI. Ponteado com ligaduras; VII. Diálogo; VIII. Diferencias brasileñas; IX. Notas repetidas; X. Urbana.

 

Vocal

 

Da obra vocal de Guerra-Peixe, o programa incialmente pinçou as canções "Prudência" e "Vivendo..." que integram a série Cânticos Serranos n. 4, escrita em 1991 a partir de textos do poeta Mário Fonseca. Dedicadas a Cirlei de Holanda, estreou no XIV Panorama da Música Brasileira Atual, na voz do barítono Inácio De Nonno. O próprio De Nonno e a pianista Laís Figueiró interpretam a versão veiculada.


Uma das mais executadas obras corais do compositor, a "Série Xavante" recria com base em sílabas e efeitos onomatopaicos desprovidos de sentido o clima da música indígena – sem qualquer compromisso ou preocupação com a fidelidade etnográfica das cantigas do índios Xavante que hoje habitam a região do Rio da Mortes, no estado do Mato Grosso.


A obra em quatro movimentos (I. Ritual da perfuração da orelha; II. Canto das moças; III. Canto dos rapazes; IV. Corrida do buriti) foi escrita para o IV Centenário da Cidade de Niterói. A estreia aconteceu, no mesmo ano, com um coro de alunos conduzido por Ernani Aguiar.


Foi ao ar a histórica versão do Renascentista de Belo Horizonte. Gravada ao vivo em 1979, na Série Música do Século XX, da Sala Funarte, tem a regência de Afrânio Lacerda.


Arranjador


Outra faceta de Guerra-Peixe são seus arranjos, O músico trabalhou durante décdas parafoi por décadas para emissoras de rádio, televisão e para gravadoras. Um dos mais emblemáticos trabalhos do gênero são os arranjos que escreveu em 1971 para os Afro-Sambas de Baden Powell e Vinícius de Moraes – o segundo LP da dupla, considerado por muitos críticos um divisor de águas na MPB por fundir elementos da sonoridade africana ao samba. Apenas com uma orquestra de cordas e o naipe de percussão Peixe criou um ambiente extraordinário para o coro que entoa "Lamento de Exu", "Canto de Xangô", "Tristeza e solidão", "Bocoché" e o "Canto de Iemanjá", entremeado por dois interlúdios instrumentais baseados no "Canto de Ossanha".


A gravação veiculada foi realizada em 1992 no Teatro Cultura Artística de São Paulo com Coral Paulistano e a Orquestra Experimental de Repertório, sob a regência do próprio autor.


"Mourão", sua obra mais executada, encerra a audição. A versão, a da Orquestra de Câmara Solistas de Londrina.

 

***

 

As edições do programa Concertos UFRJ podem ser acompanhadas on line ou por meio do podcast (áudio sob demanda) da Roquette Pinto (FM 94,1). Contatos através do endereço eletrônico: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .

 

 

 

Compartilhe este artigo:

Última atualização em Qua, 16 de Abril de 2014 15:43
 
Banner
Produção artística Séries Temáticas Conjuntos estáveis Espaços culturais Biblioteca Museu Laboratórios Publicações e CDs EM na Imprensa Sites de Música Galeria de Imagens Registro Autoral

Powered by JoomlaGadgets

© 2010-2017 Escola de Música - UFRJ
Site desenvolvido pelo Setor de Comunicação da EM/UFRJ
TOPO