Orquestra Juvenil

Orquestra Juvenil

Institucional >> Conjunto Estáveis

Em funcionamento desde 1995...

A Orquestra Juvenil da UFRJ foi criada pelo maestro André…

More...
Biblioteca Alberto Nepomuceno

Biblioteca Alberto Nepomuceno

Institucional >> Biblioteca

Capítulo importante da música no País

A história da Biblioteca Alberto Nepomuceno é, com certeza, capítulo importante da própria história da música no Brasil. Francisco Manuel da…

More...
Coral Infantil da UFRJ

Coral Infantil da UFRJ

Institucional >> Conjunto Estáveis

Desde 1989, celeiro de grandes talentos...

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Quisque dui orci, faucibus non, semper sed, pulvinar quis, purus. Class aptent…

More...
Galeria de Imagens

Galeria de Imagens

Fotos e imagens dos eventos da Escola de Música...

More...
Orquestra Sinfônica da UFRJ (OSUFRJ)

Orquestra Sinfônica da UFRJ (OSUFRJ)

Institucional >> Conjunto Estáveis

Criada em 1924 é a mais antiga orquestra do Rio de Janeiro...

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Quisque dui orci, faucibus non, semper sed, pulvinar quis, purus. Class aptent…

More...
Brasil Ensemble - UFRJ

Brasil Ensemble - UFRJ

Institucional >> Conjunto Estáveis

Mais de uma década se apresentando em importantes salas de concertos...

Criado em outubro de 1999, o conjunto vocal Brasil…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2010 JoomlaWorks, a business unit of Nuevvo Webware Ltd.
Início Concertos UFRJ Concertos UFRJ: a Música da Venezuela
Concertos UFRJ: a Música da Venezuela PDF Imprimir E-mail
O programa visita o universo musical venezuelano e apresenta obras de Inocente Carreño, Juan Bautista Plaza e Antonio Estévez.
Escrito por SeTCOM   
Seg, 24 de Outubro de 2011 08:45

O programa Concertos UFRJ está de volta à música latino-americana, a qual já dedicou um especial em que foram apresentados compositores dos séc. XVIII e XIX. Mas agora, a edição do dia 24, visita a Venezuela, país com uma rica tradição e que desenvolve uma das mais bem sucedidas experiências de ensino musical, hoje replicada em outros países, a Fundación del Estado para la Orquesta Nacional Juvenil de Venezuela (FESNOJIV) – mais conhecida simplesmente como "El Sistema".

 

podcast

Ouça aqui o programa: 

Toda segunda-feira, às 22h, tem "Concertos UFRJ" na Roquette Pinto FM. Sintonize 94,1 ou acompanhe pela internet!

Programas anteriores podem ser encontrados na seção Concertos UFRJ.
 

Criado em 1975 pelo violinista e economista José Antonio Abreu, o Sistema conta hoje com 250 000 estudantes em toda a Venezuela, 90% deles oriundos de comunidades populares. Seus objetivos são predominantemente sociais – a música serve para ajudar crianças e adolescentes em situação precária –, mas o projeto também alcançou um notável sucesso artístico, formando artistas que tocam nas melhores orquestras do mundo – o celebrado maestro Gustavo Dudamel, atualmente titular da Filarmônica de Los Angeles, é um dos seus expoentes.

 

A FESNOJIV, por exemplo, sustenta a Orquestra Sinfônica da Juventude Venezuelana Simon Bolívar, a Orquestra Sinfônica Nacional Infantil e Juvenil da Venezuela, as orquestras sinfônicas infantis e juvenis de Caracas e de todo o território nacional, além de grupos corais e de câmara que surgiram no seio do Sistema.

 

Mas o Sistema é apenas a ponta do iceberg de uma rica tradição musical que remonta à colônia, da qual o programa apresenta três peças significativas.  “Margariteña”, de Inocente Carreño (1919), com o maestro Maximiniano Valdés a frente da Orquestra Simon Bolívar; e, com os mesmos intérpretes, a “Fuga Romántica”, escrita em 1950, por Juan Bautista Plaza (1898-1965). No entanto, o destaque é sem dúvida, a “Cantata Criolla”, de Antonio Estévez (1916-1988), mais importante obra musical venezuelana. Em três movimentos – I - Lento e cadencioso, II. Lento, tenebroso e III. Allegro vivo – é uma peça coral sinfônica de grande poder expressivo. Composta sobre o texto “Florentino, el que canto con el Diablo”, uma lenda popular recolhida e retrabalhada pelo poeta Alberto Arvelo Torrealba e publicada em suas “Glosas al Cancionero”, de 1940.

 

Na cantata, que estreou em 1954, sobressai o clima mágico e sobrenatural que entrelaça humano e divino, bem e mau, épico e dramático, com a força rítmica e expressiva do ethos venezuelano e, em larga medida, da América Hispânica. Os dois solistas, um tenor e um barítono, representam respectivamente Florentino e o Diabo. A gravação ouvida é com a Orquestra Simon Bolívar, tendo a frente o maestro Eduardo Mata, e como solistas Idwer Alvarez e William Alvarado. Participam ainda o Orfeão Universitário Simon Bolivar ea  Schola Cantorum de Caracas.

 

Resultado de um convênio da UFRJ com a Roquette Pinto, Concertos UFRJ vão ao ar toda segunda-feira, às 22h, na sintonia 94.1 FM, sob o comando de André Cardoso, docente da Escola de Música (EM) e regente titular da Orquestra Sinfônica da UFRJ (OSUFRJ). As edições do programa podem ser acompanhadas on line ou por meio do podcast (audio sob demanda) da rádio. Contatos através do endereço eletrônico: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .

Compartilhe este artigo:

Última atualização em Seg, 14 de Maio de 2012 19:07
 
Banner
Produção artística Séries Temáticas Conjuntos estáveis Espaços culturais Biblioteca Museu Laboratórios Publicações e CDs EM na Imprensa Sites de Música Galeria de Imagens Registro Autoral

Powered by JoomlaGadgets

© 2010-2017 Escola de Música - UFRJ
Site desenvolvido pelo Setor de Comunicação da EM/UFRJ
TOPO