Conjunto Sacra Vox

Conjunto Sacra Vox

Institucional >> Conjunto Estáveis

Desde 1998 divulgando o repertório sacro de todos os tempos...

O conjunto vocal de câmara Sacra Vox foi fundado…

More...
Galeria de Imagens

Galeria de Imagens

Fotos e imagens dos eventos da Escola de Música...

More...
Concertos UFRJ

Concertos UFRJ

Toda segunda, às 22h, temos encontro marcado na FM 94,1

More...
Orquestra Juvenil

Orquestra Juvenil

Institucional >> Conjunto Estáveis

Em funcionamento desde 1995...

A Orquestra Juvenil da UFRJ foi criada pelo maestro André…

More...
Selo Fonográfico UFRJ/Música

Selo Fonográfico UFRJ/Música

Institucional >> Publicações

Conheça a produção fonográfica da Escola de Música

A produção fonográfica da Escola de Música remonta à época do LP quando a Orquestra Sinfônica gravou a Abertura em…

More...
Biblioteca Alberto Nepomuceno

Biblioteca Alberto Nepomuceno

Institucional >> Biblioteca

Capítulo importante da música no País

A história da Biblioteca Alberto Nepomuceno é, com certeza, capítulo importante da própria história da música no Brasil. Francisco Manuel da…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2010 JoomlaWorks, a business unit of Nuevvo Webware Ltd.
Início Outras notícias... OSUFRJ se apresenta no Theatro Municipal
OSUFRJ se apresenta no Theatro Municipal PDF Imprimir E-mail
Escrito por Francisco Conte   
Qui, 05 de Maio de 2016 10:17

A Orquestra Sinfônica da UFRJ (OSUFRJ), sob a regência do maestro Ernani Aguiar, se apresenta neste domingo (8) no Theatro Municipal, a mais importante sala de concertos da cidade. O espetáculo, marcado para as 11h30, integra a série Domingo no Municipal. No programa, obras de Alberto Nepomuceno, Felix Mendelssohn e Aran Khachaturian. Como solista, Thierry de Lucas (violino).

A OSUFRJ é a mais antiga orquestra do Rio de Janeiro e tem sua origem na Primeira República quando o Instituto Nacional de Música (INM), herdeiro do antigo Conservatório fundado por Francisco Manuel da Silva (1795-1865) em 1848, era a única instituição federal de ensino musical do país. Sob a denominação de Orquestra do Instituto Nacional de Música foi organizada em 1924. Em 1937 o INM foi incorporado à Universidade do Brasil e a orquestra passou a chamar-se Orquestra da Escola Nacional de Música. A partir de 1998, a orquestra passou a ter a direção dos maestros Ernani Aguiar e André Cardoso. Uma de suas principais características, desde sua fundação, é a valorização da produção musical brasileira de todos os tempos, já tendo executado mais de uma centena de obras em estreia mundial.

 

Solista

 

  Foto: Divulgação
 
   

Nascido em 1996, Thierry de Lucas é natural de Goiânia (GO) e iniciou seus estudos musicais aos 9 anos na Igreja Assembleia de Deus com o professor Dario José. Mais tarde, passou a receber a orientação do professor Luciano Pontes. Participou de vários festivais pela Brasil, como a Oficina de Música de Curitiba 2010 e 2011, o Festival de Música de Santa Catarina (Femusc) 2012 e 2013 e o Festival de Inverno de Campos de Jordão 2011, 2012, 2013 e 2014. Thierry é vencedor de vários concursos pelo Brasil, entre eles: concurso de aluno destaque da Oficina de Música de Curitiba 2011, Concurso Paulo Bosísio 2009, onde recebeu o prêmio de melhor estudo e prêmio especial do concurso (um violino austríaco Schuster), Concurso Jovens Solistas da Filarmônica de Goiás 2014, onde interpretou o primeiro concerto de Max Bruch sob a regência do maestro Neil Thomson.

 

Participou de masterclasses com renomados professores nacionais e internacionais como: Cláudio Cruz, Alessandro Borgomanero, Daniel Guedes, Lara Lev, Patinka Kopec, Pinchas Zukerman, entre outros. Como solista, se apresentou com a Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás, Orquestra de Câmara Goyases e Filarmônica de Goiás. Atuou como spalla da Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem na Temporada 2012, Academia Jovem Concertante e Orquestra Sinfônica Cesgranrio, e também como músico convidado de importantes orquestras do cenário nacional como Orquestra do Estado de Mato Grosso, Filarmônica de Goiás e Orquestra Sinfônica Brasileira.

 

Em 2013, após ser selecionado como spalla da orquestra do Festival Internacional de Inverno de Campos de Jordão, recebeu uma bolsa de estudos para participar da ChamberFest na renomada Juilliard School, em Nova Iorque, onde recebeu a orientação da violinista Lara Lev, recebendo ótima crítica do jornal "The New York Times". Em 2014 atuou como solista da Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás em sua turnê pela Alemanha, tocando o Concertino de César Guerra Peixe, nas cidades de Dussseldorf, Langenfeld e em Bonn pelo BeethovenFest. Atualmente é spalla da Orquestra Sinfônica Cesgranrio e faz Bacharelado na Universidade Federal do Rio de Janeiro na classe do professor Daniel Guedes.

 

Regente
 

  Foto: Rafael Reigoto
 
   
Ernani Aguiar Estudou no Brasil com Paulina d'Ambrosio e Santino Parpinelli (violino e viola), César Guerra-Peixe (composição) e Carlos Alberto Pinto Fonseca (regência). No Conservatório Cherubini de Firenze (Itália) estudou com Roberto Michelucci (violino) e Annibale Gianuário (regência). Fez cursos de aperfeiçoamento em regência na Itália com Franco Ferrara, Adone Zecchi e Giuseppe Montanari e na Alemanha com Sergiu Celibidache. É mestre em música pela UFRJ.

Atua constantemente à frente de algumas das principais orquestras do país como a Sinfônica Nacional, Sinfônica Brasileira, Sinfônica da Paraíba, Sinfônica da Bahia e a Sinfônica de Porto Alegre. Com esta última gravou, em 1994, um CD dedicado à obra de César Guerra-Peixe (1914-1993).

Como compositor tem obtido expressivo sucesso tanto no Brasil como no exterior, com sucessivas apresentações, gravações, edições e transmissões radiofônicas e televisivas de suas obras. Destacam-se em sua produção obras para coro à capella como o Psalmus CL (editado e gravado nos EUA), obras para diversas formações instrumentais como a série de Meloritmias para instrumentos solo e o Duo para violino e violoncelo (gravado na Inglaterra pela "Meridian Records"), obras para orquestra de cordas como as séries Quatro Momentos e Instantes e obras sinfônicas como a Cantata de Natal, a Missa Brevis IV, as Sinfoniettas Prima e Seconda, os Cantos Sacros para Orixás e a ópera O Menino Maluquinho com libreto de Ziraldo. Sua obra intitulada Quatro Momentos no3 já mereceu oito diferentes registros fonográficos.

Atualmente é professor de regência da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e diretor artístico e regente da Orquestra Sinfônica da UFRJ. Como regente da OSUFRJ esteve à frente da premiada gravação da ópera Colombo de Carlos Gomes, com a qual obteve os prêmios Sharp e APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte). É membro da Academia Brasileira de Música, ocupando a cadeira no 4.

 

 

Orquestra Sinfônica da UFRJ
Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Série Música aos Domingos
08 de maio de 2016 – 11h30
Regência: Ernani Aguiar
Solista: Thierry de Lucas (violino)

Programa

ALBERTO NEPOMUCENO
O Garatuja

FELIX MENDELSSOHN
Concerto para violino, Op. 64
Allegro molto appassionato
Andante
Allegretto non troppo – Allegro molto vivace
Solista: Thierry de Lucas

ARAM KHACHATURIAN
Suite Masquerade
Waltz
Nocturne
Mazurka
Romance
Galop

Compartilhe este artigo:

Última atualização em Qui, 05 de Maio de 2016 12:49
 
Banner
Produção artística Séries Temáticas Conjuntos estáveis Espaços culturais Biblioteca Museu Laboratórios Publicações e CDs EM na Imprensa Sites de Música Galeria de Imagens Registro Autoral

Powered by JoomlaGadgets

© 2010-2017 Escola de Música - UFRJ
Site desenvolvido pelo Setor de Comunicação da EM/UFRJ
TOPO