Trio UFRJ

Trio UFRJ

Institucional >> Conjunto Estáveis

Grande abrangência de repertório e atuação...

Reconhecendo afinidades de concepções musicais e técnicas,…

More...
Orquestra de Sopros

Orquestra de Sopros

Institucional >> Conjunto Estáveis

Formada por alunos da disciplina Prática de Orquestra...

Class aptent taciti sociosqu ad litora torquent per conubia nostra, per inceptos himenaeos. Cras aliquam, ante quis convallis semper, nunc…

More...
Brasil Ensemble - UFRJ

Brasil Ensemble - UFRJ

Institucional >> Conjunto Estáveis

Mais de uma década se apresentando em importantes salas de concertos...

Criado em outubro de 1999, o conjunto vocal Brasil…

More...
Orquestra Sinfônica da UFRJ (OSUFRJ)

Orquestra Sinfônica da UFRJ (OSUFRJ)

Institucional >> Conjunto Estáveis

Criada em 1924 é a mais antiga orquestra do Rio de Janeiro...

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Quisque dui orci, faucibus non, semper sed, pulvinar quis, purus. Class aptent…

More...
Galeria de Imagens

Galeria de Imagens

Fotos e imagens dos eventos da Escola de Música...

More...
Os Concertos Virtuais UFRJ estão no ar

Os Concertos Virtuais UFRJ estão no ar

Notícias >> Arquivo

Lançamento dia 13 de dezembro da experiência piloto...

Foto: Marco Fernandes/CoordCOM…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2010 JoomlaWorks, a business unit of Nuevvo Webware Ltd.
Início Notícias Destaques OSUFRJ apresenta primeiro concerto da temporada
OSUFRJ apresenta primeiro concerto da temporada PDF Imprimir E-mail
Escrito por Vanessa Rocha   
Ter, 23 de Fevereiro de 2016 07:34

Na próxima quinta-feira, dia 25, a Orquestra Sinfônica da UFRJ apresenta seu primeiro concerto do ano, no Salão Leopoldo Miguez, da Escola de Música da UFRJ. No programa, a Abertura da ópera “Le trame deluse”, de Domenico Cimarosa, o Concerto em Ré Menor para dois violinos de Johann Sebastian Bach e a Terza Serenata Clássica, de Oliviero Lacagnina. A regência é do maestro Ernani Aguiar, diretor artístico da OSUFRJ.

  Fotos: Divulgação
  Antonella400felipeprazeres400
 
  Acima, solistas do espetáculos. Antonella Parschi e Felipe Prazeres. Abaixo, Ernani Aguiar, que rege mais uma vez a OSUFRJ.

 

Le trame deluse ou La vanità delusa é um drama jocoso do compositor italiano Domenico Cimarosa, que viveu no final do século XVIII e início do século XIX, tendo escritos desde óperas à música de câmara, peças para piano e música sacra. De 1787 a 1791, foi compositor na corte de São Petersburgo. Le trame deluse é baseada no libreto Il mercato de Malmantide, de Carlo Goldoni, e estreou em Florença em 1784.

Johann Sebastian Bach dispensa apresentações, sendo um dos mais importantes compositores da história. Seu concerto para dois violinos é uma de suas obras mais reconhecidas e uma obra-prima do período barroco. Serão solistas Antonella Pareschi e Felipe Prazeres.

 

Antonella estudou primeiramente com seu pai, o professor Giancarlo Pareschi, e graduou-se em violino na UFRJ com o professor José Alves. Em 2010, concluiu o Corso di Perfezionamento di Violino na Accademia Nazionale di Santa Cecilia, em Roma, com o professor Domenico Nordio. Foi spalla da Orquestra Petrobras Sinfônica por 10 anos e do Theatro Municipal por 4 anos e representou o Brasil pela Ásia e Europa com a Jeunesses Musicales World Orchestra em 1995/96/97. Hoje é violino solista da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do RJ e professora e fundadora da Escola de Violino In CONCERT. Felipe Prazeres, um dos spallas da OSUFRJ, é spalla da Orquestra Petrobras Sinfônica desde 2001, onde também atua como regente assistente de Isaac Karabtchevsky, e diretor artístico e spalla da orquestra Johann Sebastian Rio. Graduou-se na Uni-Rio sob a orientação de Paulo Bosísio e cursou pós-graduação na Accademia Nazionale de Santa Cecilia, em Roma, na classe de Domenico Nordio. Obteve o primeiro lugar no Concurso Nacional de Cordas de Juiz de Fora, em 1997, no Concurso Interno da Uni-Rio, em 1998, e no Concurso Nacional de Música IBEU, em 1999. Será uma oportunidade única para o público vê-los em ação nesta que é uma obra emblemática para o violino.

Encerrando o concerto, a OSUFRJ apresenta uma obra contemporânea, a Terza Serenata Clássica, de Oliviero Lacagnina, compositor, arranjador e regente nascido em La Spezia, Itália, no ano de 1951. Cedo, iniciou os estudos de piano com Marta Del Vecchio e posteriormente foi discípulo de Mario Fiorentini, em composição, e de Bruno Campanella em regência orquestral. Sua incessante atividade de compositor resultou em um vasto catálogo de obras onde se destacam premiadas trilhas sonoras para filmes e documentários, obras para violão e orquestra, violino e orquestra, música sinfônica, religiosa e de câmara. Artista multifacetário, é professor, maestro de capela, arranjador, além de pianista do "Laborinto Jazz Ensemble" e tecladista do grupo de rock progressivo "Latte e Miele". As "Serenatas Classicas" de números 1 e 3 para cordas, foram dedicadas, respectivamente, a seus colegas Eliano Mattiozzi e Ernani Aguiar, que também regeu a estreia mundial do Concerto para Saxofone com o solista Marco Falaschi.

 

Orquestra Sinfônica da UFRJ
Regente: Ernani Aguiar
25 de fevereiro de 2016
Salão Leopoldo Miguez – 19h


DOMENICO CIMAROSA
Abertura da Opera "Le trame deluse"
Revisão de Alceo Toni

JOHANN SEBASTIAN BACH
Concerto em Ré Menor para dois violinos
Vivace
Largo ma non tanto
Allegro
Solistas: Antonella Parschi e Felipe Prazeres

OLIVIERO LACAGNINA
Terza Serenata Clássica
Allegro Moderato
Adágio
Tempo di Minuetto
Allegro molto – Finale

Compartilhe este artigo:

Última atualização em Ter, 23 de Fevereiro de 2016 08:34
 
Banner
Produção artística Séries Temáticas Conjuntos estáveis Espaços culturais Biblioteca Museu Laboratórios Publicações e CDs EM na Imprensa Sites de Música Galeria de Imagens Registro Autoral

Powered by JoomlaGadgets

© 2010-2017 Escola de Música - UFRJ
Site desenvolvido pelo Setor de Comunicação da EM/UFRJ
TOPO