Coral Infantil da UFRJ

Coral Infantil da UFRJ

Institucional >> Conjunto Estáveis

Desde 1989, celeiro de grandes talentos...

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Quisque dui orci, faucibus non, semper sed, pulvinar quis, purus. Class aptent…

More...
Orquestra Juvenil

Orquestra Juvenil

Institucional >> Conjunto Estáveis

Em funcionamento desde 1995...

A Orquestra Juvenil da UFRJ foi criada pelo maestro André…

More...
Série Talentos UFRJ

Série Talentos UFRJ

Institucional >> Séries Temáticas

Divulgando a pluralidade da produção artística da Escola de Música

Foi criada em…

More...
Orquestra Sinfônica da UFRJ (OSUFRJ)

Orquestra Sinfônica da UFRJ (OSUFRJ)

Institucional >> Conjunto Estáveis

Criada em 1924 é a mais antiga orquestra do Rio de Janeiro...

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Quisque dui orci, faucibus non, semper sed, pulvinar quis, purus. Class aptent…

More...
Selo Fonográfico UFRJ/Música

Selo Fonográfico UFRJ/Música

Institucional >> Publicações

Conheça a produção fonográfica da Escola de Música

A produção fonográfica da Escola de Música remonta à época do LP quando a Orquestra Sinfônica gravou a Abertura em…

More...
UFRJazz Ensemble

UFRJazz Ensemble

Institucional >> Conjunto Estáveis

Música instrumental brasileira, jazz contemporâneo e música de concerto...

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Quisque dui orci, faucibus non, semper sed, pulvinar quis, purus. Class aptent…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2010 JoomlaWorks, a business unit of Nuevvo Webware Ltd.
Excelência no caos PDF Imprimir E-mail
Veículo: Jornal da Adufrj   
Dom, 12 de Outubro de 2014

Matéria publicada na edição de 12/10/2014 do Jornal da Adufrj, órgão do Sindicato dos Docentes da UFRJ, sobre a situação dos prédios da Escola de Música.

 

 

 

 

 

 

 

Excelência no caos

 

A fachada portentosa do prédio da Escola de Música da UFRJ abriga duas realidades. Esforço virtuoso de docentes e estudantes envolvidos com a produção artística convive com o sufoco cotidiano da infraestrutura precária. Agora a situação se agrava mais ainda com a ameaça de despejo de um prédio alugado pela unidade na Lapa.

 
 jjornaldaadufrj2-20141012
 
Parte da Escola de Música está ameaçada de despejo

Empresa pede devolução de imóvel alugado pela universidade, na Lapa. No local, funcionam salas de aula e outras atividades administrativas da Unidade que não cabem mais no deteriorado prédio-sede do curso.

No centro da crise, o Parque Tecnológico da UFRJ

Elisa Monteiro
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

O diretor da Escola de Música da UFRJ, André Cardoso, recebeu, em 17 de setembro, a notícia de que (boa) parte das atividades da Unidade não poderá mais ser realizada em um prédio nas imediações da histórica sede da rua do Passeio. A empresa Superpesa, que alugava o espaço à universidade, há 14 anos, pediu o imóvel, localizado no Largo da Lapa no 51. Pior: o prazo para se retirar das instalações é o próximo dia 17 de outubro.

André explica a origem do problema: "Inicialmente, havia um contrato no qual a universidade cedia espaço para a empresa Superpesa no Parque Tecnológico. Em troca, a Música ocupou esse prédio dela na Lapa". Em 2013, a direção do Parque Tecnológico informou que não manteria mais o contato, segundo o professor. "O argumento foi que simplesmente não haveria sinergia entre o Parque e a empresa", disse, indignado. Ou seja, por uma decisão unilateral do Parque, uma das unidades mais antigas da UFRJ está ameaçada".

Segundo o diretor, a administração central se comprometeu a (re)mediar o conflito, promovendo uma chamada pública para alugar outro prédio, também próximo à Escola de Música. "Enquanto isso, estamos tentando junto à Procuradora uma extensão do prazo para dezembro de 2015", informou o diretor. "Não podemos dizer aos alunos que voltem depois, quando tudo estiver resolvido".

A Congregação da Música deve encaminhar ao Conselho Universitário, nos próximos dias, um pedido de intervenção sobre a decisão do Parque Tecnológico. E a perspectiva não é nada animadora, "caso essa situação não se reverta", disse o diretor. "O Centro da cidade está um canteiro de obras para todos os lados. Qualquer novo contrato que a universidade venha a assumir implicará em um ônus financeiro bem maior que o antigo contrato", avaliou André. "E se tivermos de sair de lá, o que temos simplesmente não caberá aqui", resumiu.

O que funciona no imóvel alugado

Em termos práticos, o desalojamento inviabiliza os cursos de Música. No prédio principal da Escola, patrimônio tombado da UFRJ na Rua do Passeio no 98, funcionam salas administrativas e de concerto. O grosso das aulas acontece em um prédio anexo nos fundos da Escola e no imóvel alugado.

A estrutura de três andares na Lapa abriga 17 salas de aulas. "Por ser um prédio moderno, da década de 1980 talvez, nele temos mais estrutura. A parte elétrica suporta aparelhos de ar-condicionado, por exemplo", observa André. Opera neste local, ainda, o setor da Escola de Música da UFRJ "onde todos os compositores do Rio de Janeiro registram suas obras". De acordo com o diretor, equipamentos de vários cursos, como "praticamente tudo de sopro, violino, viola, harpa e bandolim", estão lá. André lamenta a perda do ponto, se confirmada. "A Escola está em um lugar privilegiado para os músicos, ao lado da sala Cecilia Meireles, do (Teatro) Municipal e do Circo Voador".

Crédito das fotos: Elisa Monteiro

Legenda das fotos: Fachada ao lado da Sala Cecília Meireles (acima) "esconde instalações mãos novas (abaixo) alugadas para a EM, nos fundos.

Prédio-sede, tombado, está em condições ruins

Unidade que realizou sua expansão acadêmica depois da reforma curricular ("muito antes do reuni", observa André), a Música mantém seu funcionamento no sufoco. "Quando temos apresentações, pedimos aos funcionários que vão embora mais cedo e saímos apagando todas as luzes possíveis", conta André, mostrando o gerador alugado para dias de espetáculos. A rede e rede elétrica, antiga, não suporta além de 200 amperes.

A precariedade das estruturas fez o diretor interditar parte dos fundos da Escola. No ano passado, a caixa d'água simplesmente descolou do prédio. As infiltrações castigam o patrimônio histórico e a comunidade acadêmica. Mas, sobretudo, a falta de espaço incomoda: "Não temos sequer lugares para os professores guardarem suas coisas". Todo material docente fica em um gaveteiro centenário. Antigas salas de aula são repartidas em três, quatro e até cinco peças, por divisórias. Não há isolamento acústico.

Nova estrutura

Fora do Reuni e do Plano Diretor, a Música tem planejada sua expansão a partir da construção de uma nova estrutura nos fundos do prédio-sede. O projeto, elaborado por uma professora da FAU, Andrea Borde, já tem recursos para começar a primeira parte: a derrubada da parte condenada do edifício. A construção de uma subestação elétrica, no local, também fqaz parte dos planos

Legenda da foto:Falta de espaço. Salas são repartidas em vários pedações.

Reitoria dá sua versão

A Adufrj-SSind levou o problema da Música ao Consuni no último dia 9. Na ocasião, o reitor Carlos Levi disse a matéria "é de preocupação da universidade há anos". Segundo Levi, a Superpesa estaria ocupando "uma área grande no Parque, causando prejuízos pecuniários a UFRJ": haveria uma relação "desequilibrada" em termos de valorização imobiliária entre os terrenos do Fundão e do imóvel no Centro.

A pró-reitora de Gestão e Governança (PR6), Aracéli Ferreira, afirmou estar "particularmente tranquila" com a situação. Segundo a dirigente: "Não há nenhum risco de a Escola de Música ser desinstalada ou ser despejada. Isso está totalmente afastado".

Aracéli confirmou o pedido de desocupação do imóvel onde está a Música pela empresa Superpresa, mas contemporizou com a afirmação de que "já entramos na Justiça e temos toda condição de manter a escola lá". "Nós estamos atuando de forma bastante presente nessa questão", disse.

De acordo com a pró-reitora, a universidade "está fazendo uma licitação para o aluguel de um espaço" para a Escola, "até porque a Música precisa sair (do prédio onde está) para que a reforma lá possa acontecer".

Compartilhe este artigo:

Última atualização em Seg, 13 de Outubro de 2014 10:44
 
Banner
Produção artística Séries Temáticas Conjuntos estáveis Espaços culturais Biblioteca Museu Laboratórios Publicações e CDs EM na Imprensa Sites de Música Galeria de Imagens Registro Autoral

Powered by JoomlaGadgets

© 2010-2017 Escola de Música - UFRJ
Site desenvolvido pelo Setor de Comunicação da EM/UFRJ
TOPO