170 ANOS FORMANDO MÚSICOS DE EXCELÊNCIA

Concertos UFRJ: Villa-Lobos

0
0
0
s2sdefault

Em tempos de Festival Villa-Lobos, que ocorre todos os anos no Rio no mês de novembro, Concertos UFRJ destacam duas obras importantes deste  compositor carioca que nasceu em 1887 e conquistou o mundo com uma obra original e que, ao mesmos tempo, reflete como poucas a enorme diversidade brasileira.

podcast

Ouça aqui o programa: 

Toda segunda-feira, às 22h, tem "Concertos UFRJ" na Roquette Pinto FM. Sintonize 94,1 ou acompanhe pela internet!

Programas anteriores podem ser encontrados na seção Concertos UFRJ.
     

Da obra monumental de Heitor Villa-Lobos (1887-1959), que abrange mais de mil títulos e inclui desde pequenas peças para instrumentos solo até gigantescos painéis corais, sinfônicas e óperas, se destacam duas séries: as Bachianas Brasileiras e os Choros.

As Bachianas, como o nome sugere, são tentativas de misturar características da música brasileira a procedimentos contrapontísticos típicos da obra de Johann Sebastian Bach, compositor a quem Villa-Lobos dedicava especial admiração. São nove peças para conjunto os mais variados – desde formações pequenas, como o duo para flauta e fagote da no 6, até a grande orquestra sinfônica da no 7, passando por aqueles de dimensões intermediárias que o próprio compositor estabeleceu, a exemplo da orquestra de violoncelos, na primeira e na quinta.

 

Particularmente brilhante, a Bachianas Brasileiras no 7 foi escrita em 1942 para orquestra sinfônica e os títulos ambivalentes dos quatro movimentos revelam o desejo de conciliação entre a música brasileira e a do mestre barroco. São eles: Prelúdio (Ponteio), Giga (Quadrilha Caipira), Toccata (Desafio) e Fuga (Conversa).

 

A gravação veiculada tem um charme especial, conta com o próprio Villa-Lobos a frente da Orquestra Sinfônica da Rádio de Berlim.

 

A série de Choros também abarca uma enorme variedade de formações instrumentais e vocais. Começa com o Choros no 1, para violão solo, e termina com o de no 12 que põem em cena uma grande orquestra sinfônica. Talvez seja essa a mais importante série composta por Villa-Lobos e marca algumas das mais ousadas propostas de sua linguagem musical.

 

O Choros no 6, composto em 1926 também para orquestra sinfônica, é um dos mais apreciados e executados em todo o mundo e nele podemos perceber as características da música urbana carioca, não só por seus procedimentos típicos mas também pelo uso inovador de determinados instrumentos de percussão que foram incorporados por Villa-Lobos ao conjunto sinfônico, como o tambu-tambi, a cuica e o tamborim de samba.

 

A gravação destacada pela edição é também especial. Foi realizada ao vivo no Theatro Municipal do Rio de Janeiro em 1986 durante turnê da Orquestra Sinfônica Mundial, dirigida na ocasião pelo maestro norte-americano Lorin Maazel.

* * *

Parceria da Escola de Música (EM) com a rádio Roquette Pinto, a série Concertos UFRJ conta com a produção e apresentação de André Cardoso, docente da EM, e vai ao ar toda segunda-feira, às 22h, na sintonia 94,1 FM. As edições do programa podem ser acompanhadas on line ou por meio do podcast, audio sob demanda, da rádio Roquette Pinto. Contatos através do endereço eletrônico: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

Correspondência

Escola de Música da UFRJ
Edifício Ventura Corporate Towers
Av. República do Chile, 330
21o andar, Torre Leste
Centro - Rio de Janeiro, RJ
CEP: 20.031-170

+55 21 2532-4649
gabinete@musica.ufrj.br

Redes sociais