Os Concertos Virtuais UFRJ estão no ar

Os Concertos Virtuais UFRJ estão no ar

Notícias >> Arquivo

Lançamento dia 13 de dezembro da experiência piloto...

Foto: Marco Fernandes/CoordCOM…

More...
Orquestra Sinfônica da UFRJ (OSUFRJ)

Orquestra Sinfônica da UFRJ (OSUFRJ)

Institucional >> Conjunto Estáveis

Criada em 1924 é a mais antiga orquestra do Rio de Janeiro...

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Quisque dui orci, faucibus non, semper sed, pulvinar quis, purus. Class aptent…

More...
Trio UFRJ

Trio UFRJ

Institucional >> Conjunto Estáveis

Grande abrangência de repertório e atuação...

Reconhecendo afinidades de concepções musicais e técnicas,…

More...
Galeria de Imagens

Galeria de Imagens

Fotos e imagens dos eventos da Escola de Música...

More...
UFRJazz Ensemble

UFRJazz Ensemble

Institucional >> Conjunto Estáveis

Música instrumental brasileira, jazz contemporâneo e música de concerto...

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Quisque dui orci, faucibus non, semper sed, pulvinar quis, purus. Class aptent…

More...
Biblioteca Alberto Nepomuceno

Biblioteca Alberto Nepomuceno

Institucional >> Biblioteca

Capítulo importante da música no País

A história da Biblioteca Alberto Nepomuceno é, com certeza, capítulo importante da própria história da música no Brasil. Francisco Manuel da…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2010 JoomlaWorks, a business unit of Nuevvo Webware Ltd.
Início Concertos UFRJ Temporada 2012 Concertos UFRJ: “Il ballo delle ingrate”, de Monteverdi
Concertos UFRJ: “Il ballo delle ingrate”, de Monteverdi PDF Imprimir E-mail
Misturando ópera, ballet e madrigal “Il ballo delle ingrate” é um marco na produção de Monteverdi e anuncia muitas das suas inovações estéticas.
Escrito por SeTCOM   
Ter, 28 de Agosto de 2012 00:36

A edição desta semana de Concertos UFRJ convida a um delicioso passeio pelos primórdios da ópera. Em destaque “Il ballo delle ingrate” (A dança das senhoras ingratas, em tradução livre), obra escrita por Monteverdi em 1608 para as celebrações do casamento de Francesco Gonzaga (filho do seu patrono, o Duque Vincenzo de Mântua) e Margarida de Saboia. O libreto é de Ottavio Rinuccini, nobre e poeta italiano do final do Renascimento.

 

Na estreia o Duque e filho chegaram a integrar o elenco. Monteverdi compôs ainda para a mesma ocasião a música para o prólogo de jogo “Guarini L'idropica” e a ópera “L'Arianna”, a partir outro libreto de Rinuccini.  Aliás, deve-se ao poeta o texto do que muitos consideram a primeira ópera: “Dafne” (1597), com música de Jacopo Peri.


podcast

Ouça aqui o programa: 

Toda segunda-feira, às 22h, tem "Concertos UFRJ" na Roquette Pinto FM. Sintonize 94,1 ou acompanhe pela internet!

Programas anteriores podem ser encontrados na seção Concertos UFRJ.

O italiano Claudio Monteverdi (1567-1643) é, com justiça, considerado uma das personalidades modulares da história da música ocidental. Em suas óperas e madrigais desenvolveu um estilo em que a orquestra além de acompanhar as vozes, desempenha um papel independente no desenvolvimento dramático. É o chamado concertato, cujo significado deriva do verbo italiano concertare e significa entrar em acordo. Essa abordagem se manifesta, sobretudo, nas obras do quinto ao oitavo livro de madrigais seculares publicados pelo compositor entre 1605 e 1638. No último, intitulado “Madrigali Guerrieri, et amorosi”, apresenta uma incrível variedade de peças destinadas a diferentes formações, duas das quais marcaram o desenvolvimento dos gêneros musicais representativos: “Il combattimento di Tancredi e Clorinda” e o “Il ballo delle ingrate”.

 

Nelas elaborou uma nova forma de recitativo, o concitato (ou excitado), onde as cordas acompanham as vozes com notas repetidas em figurações rápidas para ressaltar os momentos marcantes do curso dramático. Suas grandes inovações para a orquestra foram a emancipação do conjunto em relação às partes vocais e o desenvolvimento da escrita instrumental. “Il ballo delle ingrate” é ainda uma composição hibrida, em que se mesclam elementos da ópera, do ballet e do madrigal − uma espécie de ballet semidramático em que os recitativos assumem grande relevo, como, aliás, típico das primeiras óperas.

 

A versão impressa provavelmente contém revisões que o musicólogo Paolo Fabbri acredita foram feitas para as comemorações da coroação do imperador Fernando III, em 1636. A súbita morte do antecessor teria obrigado Monteverdi, sob pressão dos acontecimentos, a reelaborar o material de o “Ballo delle ingrato”. A escrita virtuosística para o baixo Plutão denuncia, por exemplo, mais o estilo das suas últimas produções do que a simplicidade do seu famoso “L'Orfeo” (1607), “favola in musica” considerada pela crítica a primeira obra-prima do gênero operístico.

 

A versão veiculada no programa trouxe Patrizia Vaccari (soprano), no papel de Cupido; Gloria Banditelli (mezzo-soprano), como Vênus; Antonio Abete (baixo), como Plutão; e Maura Pederzoli (soprano), como uma das senhoras ingratas. Sergio Vartolo conduz a Orquestra da Capela Musical de São Petrônio de Bolonha.

 

* * *

 

Concertos UFRJ resultam de um convênio da UFRJ com a rádio Roquette Pinto, indo ao ar toda segunda-feira, às 22h, na sintonia 94.1 FM. Apresentado por André Cardoso, regente titular da OSUFRJ, as edições podem ser acompanhadas on line ou por meio do podcast (áudio sob demanda) da Roquette Pinto (FM 94,1).

 

Contatos através do endereço eletrônico: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .

 

 

Il ballo delle ingrate

 

Claudio Monteverdi

Ottavio Rinuccini, libreto

monteverdi-ballo-delle-ingrateCD

Personagens

 

Venere(Vênus), soprano
Amore(Cupido), soprano
Plutone (Plutão), baixo
Uma ingrata, soprano
 

Ação

 

A ação se passa a entrada do Inferno

 

Ato único

 

Vênus e Cupido visitam Plutão, o rei do submundo, e se queixam de que as flechas do arco de Cupido não são mais eficazes com as senhoras de Mântua que estão, uma a uma, desprezando seus amantes.

 

Cupido pede então a Plutão que traga do submundo os espíritos daquelas que rejeitaram em vida o amor, para mostrar o que está destinada a elas na outra vida. Plutão concorda e os espíritos das senhoras ingratas entram a dançar “duas a duas... com passos graves”. Plutão canta uma advertência para as mulheres da plateia e, quando os espíritos, retornam ao submundo, um deles entoa um lamento, por deixar o ar “puro e sereno”.

Compartilhe este artigo:

Última atualização em Sáb, 01 de Setembro de 2012 15:21
 
Banner
Produção artística Séries Temáticas Conjuntos estáveis Espaços culturais Biblioteca Museu Laboratórios Publicações e CDs EM na Imprensa Sites de Música Galeria de Imagens Registro Autoral

Powered by JoomlaGadgets

© 2010-2017 Escola de Música - UFRJ
Site desenvolvido pelo Setor de Comunicação da EM/UFRJ
TOPO