170 ANOS FORMANDO MÚSICOS DE EXCELÊNCIA

Peças para múltiplos solistas em Concertos UFRJ

0
0
0
s2sdefault

Peças escritas para dois ou mais solistas são a atração de Concertos UFRJ desta semana. Em destaque, composições de Bach, Mozart e Vivaldi. Resultado de um convênio da UFRJ com a Roquette Pinto, o programa vai ao ar toda segunda-feira, às 22h, na sintonia 94.1 FM, sob o comando de André Cardoso, regente titular da OSUFRJ.

podcast

Ouça aqui o programa: 

Toda segunda-feira, às 22h, tem "Concertos UFRJ" na Roquette Pinto FM. Sintonize 94,1 ou acompanhe pela internet!

Programas anteriores podem ser encontrados na seção Concertos UFRJ.

 

Bach

J. S. Bach (1685-1750), um dos maiores compositores da música do Ocidente, escreveu várias partituras para mais de um solista. Entre elas, o Concerto para Dois Violinos em Ré Menor, BWV 1043, considerado uma de suas maiores obras instrumentais e modelo do barroco tardio. Escrito em Cöthen, entre 1717 e 1723, os movimentos são Vivace, Largo ma non tanto e Allegro. Além dos solistas, o concerto exige cordas e baixo contínuo, e há uma versão para dois cravos, com transposição para dó menor (BWV 1062). A interpretação veiculada foi a dos violinistas Henryk Szeryng e Maurice Hasson, acompanhados da Academy of St. Martin in the Fields, conduzida por Sir Neville Marriner.
Mozart

W. A. Mozart (1756-1791) foi outro gênio musical que escreveu com frequência para vários solistas. Entre suas obras encontramos, entre outras, peças para dois violinos, para violino e viola, para dois ou três pianos e para flauta e harpa. O programa destacou a Sinfonia Concertante em Mi Bemol, K 297, para quatro solistas, oboé, clarineta, trompa, fagote, e orquestra, nos movimentos Allegro, Adagio e Andantino con variazio. A interpretação, a de Stephen Taylor, David Singer, William Purvis Steven Dibner, acompanhados pela Orquestra de Câmara Orpheus.
Vivaldi

Encerrando o programa, um exemplo de criatividade e domínio técnico: o Concerto “In due Cori” em Lá Maior RV 585, do compositor italiano Antonio Vivaldi (1678 - 1741), para nada menos que 11 solistas. São quatro flautas, quatro violinos, dois violoncelos e órgão, acompanhados por uma orquestra de cordas e baixo contínuo. Os solistas são divididos em dois grupos, os “due Cori” de instrumentos do título. O primeiro é formado por duas flautas, dois violinos e um violoncelo; o segundo inclui duas flautas, dois violinos, um violoncelo e o órgão. Ao longo da partitura, estes grupos se alternam como solistas, tocam juntos ou dialogam com a orquestra, o que cria um inusitado efeito estereofônico, ainda mais interessante quando apreciado ao vivo. A peça é dividida em três movimentos - Allegro, Adagio e Allegro - e os solistas da versão apresentada são integrantes da orquestra Concerto Köln, conjunto alemão dedicado ao repertório barroco.

 

As edições do programa Concertos UFRJ podem ser acompanhadas on line ou por meio do podcast (áudio sob demanda) da Roquette Pinto (FM 94,1). Contatos através do endereço eletrônico: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

Correspondência

Escola de Música da UFRJ
Edifício Ventura Corporate Towers
Av. República do Chile, 330
21o andar, Torre Leste
Centro - Rio de Janeiro, RJ
CEP: 20.031-170

+55 21 2532-4649
gabinete@musica.ufrj.br

Redes sociais