170 ANOS FORMANDO MÚSICOS DE EXCELÊNCIA

Alberto Nepomuceno (1902-1903 e 1906-1916)

img
Diretor Alberto Nepomuceno
Periodo(s) 1902-1903 e 1906-1916
Biografia

Nasceu em Fortaleza (CE) no dia 6 de julho de 1864. Em 1872 foi para Recife estudar. Aos dezoito anos assumiu a direção dos concertos do Clube Carlos Gomes de Recife. Atuou também como violinista na estréia da ópera Leonor, de Euclides Fonseca, no Teatro Santa Isabel. De volta ao Ceará com a família, ligou-se aos defensores do movimento abolicionista, passando a colaborar em diversos jornais ligados à causa.. Devido às suas atividades políticas, seu pedido de custeio ao governo imperial para estudar na Europa foi indeferido. Em 1885 mudou-se para o Rio de Janeiro, dando continuidade aos seus estudos de piano. Em 1887 compôs a Dança de Negros, que mais tarde se tornou o Batuque, da Série Brasileira. Em 1888 foi para a Europa. Primeiro esteve em Roma. Em 1890 foi para Berlim, onde estudou composição. Em 1893 casou-se com a pianista norueguesa Walborg Bang, aluna de Edvard Grieg, o mais importante compositor norueguês da época e representante do nacionalismo romântico. Em 1894 foi para Paris aprimorar os estudos de órgão com Guilmant. Lá conheceu Saint-Saëns e Vicent D'Indy, entre outros. Voltou ao Brasil em 1895 já nomeado professor de órgão do INM. No ano seguinte teve início sua atividade na Associação de Concertos Populares, que dirigiu por dez anos (1896-1906). Em 1903 assumiu a direção do Instituto Nacional de Música em substituição a Leopoldo Miguez mas demitiu-se um ano depois. Em 1906 voltou ao cargo permanecendo por dez anos. Em sua segunda gestão empreendeu uma série de modificações no Instituto e transferiu a sede da Rua da Lampadosa para a atual na Rua do Passeio, em 1913. Dirigiu concertos sinfônicos na Alemanha, França, Bélgica, Suíça e na Argentina. Em sua obra, não muito extensa, podemos destacar a Sinfonia em solm, a Suíte Brasileira, as Valsas Humoísticas para piano e orquestra, as óperas Abul e Artemis, um trio e três quartetos de cordas. A parte mais significativa está nas obras para piano solo e nas canções, muitas das quais com texto em português. Foi uma das mais importantes figuras da vida musical brasileira de seu tempo. Faleceu em 1920, aos 56 anos.

Correspondência

Escola de Música da UFRJ
Edifício Ventura Corporate Towers
Av. República do Chile, 330
21o andar, Torre Leste
Centro - Rio de Janeiro, RJ
CEP: 20.031-170

+55 21 2532-4649
gabinete@musica.ufrj.br

Redes sociais