171 ANOS FORMANDO MÚSICOS DE EXCELÊNCIA

A Escola vai à Ópera estréia sua 6ª edição com O Limpador de Chaminés

0
0
0
s2sdefault

O Salão Leopoldo Miguez da Escola de Música está reservado, nos dias 13, 14, 16 e 17 deste mês de outubro de 2015, para as récitas da ópera O Limpador de Chaminés. Esta ópera de Benjamin Britten, com libreto de Eric Crozier, adaptado por Francisco Nery e Regiana Antoniniz, é a 6ª edição do projeto A Escola vai à Ópera, idealizado e coordenado por Maria José Chevitarese, atual Diretora da Escola de Música.

 

  Cartaz
 
   
 
O Limpador de Chaminés,
de Benjamin Britten
 
Idealização e Direção Geral: Maria José Chevitarese
Direção Cênica: Luiza Rangel
Regência: Kaique Stumpf e Isabela Freitas
Piano: Cristino Viegas e Cláudia Feitosa
Percussão: Paula Buscácio
Coral Infantil da UFRJ
 
Escola de Música da UFRJ, Salão Leopoldo Miguez
Entrada Franca
 
13 de outubro – 14h30 e 18h30
14 e 16 de outubro – 14h30
17 de outubro – 16h30
 
Veja cobertura fotográfica do evento na galeria de imagens do site
 
 
Não fugindo à regra das edições anteriores, na qual a escolha da ópera a ser apresentada se fazia, obrigatoriamente, em concordância aos objetivos do projeto A Escola vai à Ópera, nesta edição, a encenação da ópera O Limpador de Chaminés acata do citado projeto os objetivos que, a seguir, são expostos.
 
Ou seja, o de tornar público mais uma ópera que conta uma história do universo infantil; o de tornar possível o acesso de crianças e jovens da Rede Pública de Ensino da Região Metropolitana do Rio de Janeiro a este gênero musical; e de congregar os conteúdos escolares prescritos nos Parâmetros Curriculares Nacionais – PCNS – a fatos da vida real através da sucessão e da transformação de acontecimentos, vivências e situações narradas na ópera por meio da interação entre música, artes plásticas e teatro.
 
Assim é que, para as récitas da ópera O Limpador de Chaminés, com horários de 14:30h e 18:30h no dia 13, 14:30h nos dias 14 e 15 e às 16:30h no dia 17 de outubro, estão inscritas vinte e oito instituições escolares dos municípios do Rio de Janeiro e Niterói, entre as quais, o Centro Municipal de Referência de Educação de Jovens e Adultos – CREJA/RJ, perfazendo um total de mil cento e vinte alunos.
Esses alunos, de forma mágica, no lazer vivido experencialmente, não só vão estar ampliando seus respectivos universos culturais, na medida em que terão oportunidade de participar como ouvintes de um espetáculo musical, provavelmente, até então, a eles inacessível em termos sócio-culturais, como também vão estar cumprindo as exigências dos PCNS de Artes que, com precisão, estabelecem como necessária a oportunidade "de participar da aprendizagem musical fora da sala de aula".
 
Mas, convém sublinhar que, o ingresso gratuito dessas mil cento e vinte crianças e jovens na ópera O Limpador de Chaminés fará com que não fiquem apenas limitados ao cumprimento dos PCNS de Artes. Isto porque, uma vez que sabemos todos que as histórias ficcionais partem sempre da realidade, o tema abordado na ópera O Limpador de Chaminés, como também não poderia deixar de ser, de forma lúdica, trata de um fato real: a exploração do trabalho infantil.
 
Desta forma, mesmo que nela os acontecimentos, vivências e situações façam referência ao que acontecia na Inglaterra, até o início do século XIX, o fato de o libreto da ópera ser entregue aos professores da Rede Pública de Ensino com antecedência, permite que eles trabalhem em sala de aula com o conteúdo da matéria nele narrada.
 
E com isso, existe a possibilidade das crianças e jovens, presentes nas récitas, traçarem um paralelo entre a história que a ópera O Limpador de Chaminés conta e a realidade de um país como o nosso que, ainda hoje, no século XXI, em conseqüência às enormes diferenças econômicas, sociais e culturais, continua a se utilizar do trabalho infantil.
 
Contudo, se no universo infantil representado nesta ópera houve uma transformação na sucessão dos acontecimentos e nas ações que culminou em um final feliz, as significações geradas em O Limpador de Chaminés que, seguramente, serão apreendidas pelas crianças e jovens, poderão contribuir para que seja criada por eles uma resistência à exploração do trabalho infantil no Brasil.
 
E junto a essa resistência pode também ser internalizada a certeza de que todas as crianças e jovens devem ter o direito e acesso à educação e lazer.
 
estrela SERVIÇO
Escola de Música da UFRJ, Rua do Passeio, 98 – Lapa.
 
 
 
 
 
 

14/9 (segunda)

15/9 (terça)

16/9 (quarta)

17/9 (quinta)

18/9 (sexta)

 

 

PALESTRA

Andréa Carneiro de Souza

 

"font-size: xx-small;" size="1">Revisitando o Projeto Viola Instrumental Brasileira

10h

Sala da Congregação

EM/UFRJ

 

 

 

ABERTURA

Ricardo Tacuchian

(Convidado especial)

 

12h30m

Instituto Cervantes

 

 

 

 

CONCERTO I

Trio Shambala

Hugo Farias, Cláudio Pereira, Vicente Miranda

 

Marcus Ferrer

A Viola que não é caipira

 

13h

Instituto Cervantes

CONCERTO III

Henrique Cazes e Marcello Gonçalves (Garoto 100 anos)

 

13h

Sala de Sessões do CCJF

 

 

 

 

CONCERTO VI

Elodie Bouny (França)

 

13h

Sala de sessões do CCJF

 

 

CONCERTO X

Quarteto Quartinho

João Brasileiro, Mateus Bretas, Rodolfo Cornélio, Victor Hugo

Camerata Dedilhada da UFRJ

Paulo Sá, Henrique Cazez, Celso Ramalho, Marcus Ferrer, Bartholomeu Wiese, Marcello Gonçalves

 

13h

Instituto Cervantes

 

 

 

 

OFICINA MARIACHI JUVENIL TECALITLÁN

15 – 18h

Sala 12 - Prédio II

OFICINA MARIACHI JUVENIL TECALITLÁN

 

14 – 18h

Sala 12 - Prédio II

OFICINA MARIACHI JUVENIL TECALITLÁN

14 – 18h

Sala 12 - Prédio II

CONCERTO II

VIOLONCELOS UFRJ

Marcus Ribeiro (direção musical), Diogo Moura, Glenda Carvalho*, Flávia Chagas*, Fábio Coelho*, Hudson Lima*, Liana Meireles, Gretel Paganini*

 

 

Regência:Ernani Aguiar

Soprano: Veruschka Mainhard

*Participações especiais

15h

Sala da Congregação EM/UFRJ

 

 

 

 

 

 

 

 

PALESTRA

A relação entre técnica e interpretação

 

Léo Soares (Convidado Especial)

15h

Sala da Congregação EM/UFRJ

 

CONCERTO IV

Alunos de Violão (UFRJ/UNIRIO)

Arthur Rendelli, Victor Hugo Ribeiro, Luis Benevente, Maria Luiza Tonácio, Pablo Villafuerte, Cládio Pereira, Mateus Brêtas, Alexandre Vargas, Vicente Miranda, Gabriel Ballesté, João Brasileiro, Pedro Bicaco (org.)

 

16h

Sala da Congregação EM/UFRJ

 

 

 

 

MESA REDONDA

Perspectivas histórico-musicais de cordofones no Brasil

 

Humberto Amorim/ Marcia Taborda/ Ricardo Dias

Mediador: Hugo Farias

15h

Sala da Congregação EM/UFRJ

 

 

CONCERTO VII

Vicente Paschoal

 

17h

Sala da Congregação EM/UFRJ

 

 

 

CONCERTO XI

Fábio Neves

Beira Rio – viola brasileira

 

14h

Sala da Congregação

EM/UFRJ

 

 

MESA REDONDA

Aspectos harmônicos e composicionais dos cordofones na criação musical

 

Fabio Adour/ Mario da Silva/ Cyro Delvizio

Mediador: Fernando Duarte

 

15h

Sala da Congregação

EM/UFRJ

 

 

 

CONCERTO XIII

Harpas na UFRJ: Wanda Eichbauer, Cristina Braga e alunos.

Lucas Puppin, Rafael Eveno, Rayana du Val, Amanda Mara Rizzotto, Victor Feitas, Alice Emery

14h

Salão Leopoldo Miguez

EM/UFRJ

 

 

CONCERTO XIV

Cordas Dedilhadas do CEFET – Luciano Melo Dias, Alberto Boscarino, Gilberto Gil Fidélis, Adriano Furtado & Grupo de Choro da AMC – Sheila Moysés, William Fabireza, Fabiana Fernandes, Layla Moura, Jeovan Delavechea, Sidney Ferreira, Daniel Rozário, Samara Líbano

 

15h30m

Salão Leopoldo Miguez

EM/UFRJ

 

 

CONCERTO XV

Luiz Carlos Barbieri

Participação: The Biedermeiers

(Max Riccio, guitarra romântica &Rubens Küffer, flageolet francês e csakan)

17h

Salão Leopoldo Miguez

EM/UFRJ

 

Recital palestra

<palign="center">José Valencia (Colômbia) <palign="center">Participação: <palign="center">Sergio Valdeos(Peru) <palign="center">  <palign="center">Bambuco: um parente do choro brasileiro nos Andes da Colômbia< <palign="center">18h

Instituto Cervantes

CONCERTO V

Francisco Gil (México)

 

18h

Sala de sessões do CCJF

 

 

concerto ViII

Os violões de Adamo Prince & Paulo César Botelho

Partcipação: Bartholomeu Wiese

18h.

Sala de Sessões do CCJF

CONCERTO XII

Música Surda

 

18h

Instituto Cervantes

ENCERRAMENTO

concerto XVI

OFICINA MARIACHI JUVENIL TECALITLÁN

(México)

 

19h

Salão Leopoldo Miguez

EM/UFRJ

 

 

concerto IX

Trio Madeira Brasil

Ronaldo do Bandolim, Marcello Gonçalves, José Paulo Becker

19h

Salão Leopoldo Miguez

EM/UFRJ

 

 

 

Correspondência

Escola de Música da UFRJ
Edifício Ventura Corporate Towers
Av. República do Chile, 330
21o andar, Torre Leste
Centro - Rio de Janeiro, RJ
CEP: 20.031-170

+55 21 2532-4649
gabinete@musica.ufrj.br

Redes sociais